O esporte e o doping

8c550ac4-a6a3-47ed-9dd3-53af27ba2971_463x347O esporte, não só o ciclismo, vem sendo assombrado por escândalos de doping nos últimos anos que atingem não apenas quem se dopou, mas toda a entidade esportiva a quem eles representam. Este foi o caso de Lance Armstrong, dos atletas jamaicanos e de César Cielo, mas seria o doping realmente o problema?

O esporte sempre foi regido pelo princípio básico do equilíbrio de condições entre os adversários. Todos, em teoria, estariam em igualdade de condições diante de uma prova e o doping seria um fator que tiraria este equilíbrio. Isto acontece por que o doping, como sabemos, consiste no uso de substâncias melhoradoras de performance física, o que, para alguns, tiraria outro princípio básico do esporte: a força humana. Porém, diante de tais argumentos, poderíamos levantar o seguinte questionamento: o avanço tecnológico de forma desigual não seria então uma espécie de doping mecânico? Frente a isso, voltemos ao doping.

Os últimos tempos tem mostrado que a atual política de “Guerra as Drogas” praticada pela WADA e, especial, a UCI tem se mostrado pouco eficaz, já que, desde então, as suspeitas e os escândalos de dopagem não tem aparentado ter diminuído, mas, na verdade, aumentado. Olhando para UCI, esta política conservadora em relação ao doping tem demonstrado coerência se comparados a política tecnológico da entidade. Porém ainda assim vemos certo descompasso: a utilização de itens em carbono, grupos mais completos e leves, e itens de segurança mais resistentes e leves são sim itens de desigualdade esportiva.

Dentro do cenário WorldTour e ProCont esta diferença não parece ser aparente, mas, quando descemos ao nível Continental, ela já surge. Um exemplo disso pode ser colocado no Tour de San Luis: em sua última temporada de vida, a equipe da Padaria Real tinha suas bicicletas equipadas com o grupo Shimano Ultegra completo, ao tempo em que equipes ProTour e ProCont utilizavam grupos Shimano Dura Ace Di2 completos. Isso já mostra um fator de diferenciação. Porém isso fica ainda mais extremado quando partimos para o suprassumo do ciclismo mundial, o Mundial de ciclismo.

No Mundial ao ponto que vemos Cavendish e sua Venge, vemos ciclistas africanos e asiáticos ainda presos em suas bicicletas de alumínio. Então, pegunto: se o doping torna as coisas tão desiguais assim, onde está a igualdade onde de um lado vemos alguém usando uma bicicleta de 9kg e do outro, alguém usando uma quase 3kg mais leve?

Fica meio lógico que esse descompasso entre a mecânica e o biológico das regras tem muito a ver com os patrocínios e o mercado. A UCI e quealquer outra federação esportiva dependem da visibilidade e interesse pelo esporte para que continuem existindo, por isso, as regras de controle mecânico devem agradar não só quem produz os equipamentos, mas também quem os compra, que sempre está atrás de inovações. O mesmo não se aplica a substâncias melhoradoras de performance, que não atraem publico comprador e nem patrocínio de farmacêuticas ao esporte.

O atual conservadorismo do esporte o impede de ver que as atuais políticas antidopagem necessitam de uma reforma urgente, pois, diante de tal quadro de avanço desigual das condições individuais de cada atleta impede que o esporte corra justo como era a sua intenção. Não faço aqui um pedido de legalização do doping (nem do bloqueio dos avanços tecnológicos), porém, fica claro que não outro motivo que não seja o pensamento arcaico das lideranças esportivas atuais, que fica claro em suas políticas repressivas e não de entendimento com quem de dopa, é que impede que avanços ocorram na área e que os atuais escândalos, não que parem, mas que diminuam consideravelmente.

Radio Corsa #39

Radio Corsa 39 no ar, falando sobre o Tour de France 2013 que acabou neste final de semana.

Podium do Tour de France 2013. Chris Froome (Sky), Nairo Quintana (Movistart) e Joaquin "Purito" Rodriguez (Katusha). (Foto AFP / Pool / Stephane Mantey)

Podium do Tour de France 2013. Chris Froome (Sky), Nairo Quintana (Movistart) e Joaquin “Purito” Rodriguez (Katusha). (Foto AFP / Pool / Stephane Mantey)

Eu (Cris da Rocha) e Danilo Ricco comentamos o Tour de France 2013, se desenvolveu de uma maneira bastante suspeita (pra dizer o mínimo). Demos nossa opinião sobre o tema e o grande risco de estarmos começando uma nova “Era Armstrong” no quesito doping institucional.

O tempo dirá!

De qualquer forma, a conversa, como sempre flui espinafrando tudo e todos de uma forma divertida!

Download Radio Corsa #39

Radio Corsa #38

Radio Corsa 38 no ar, hoje comentando o Tour de France 2013 que começa neste final de semana.

Tour de France 2013 - Mapa com rota

Tour de France 2013 – Mapa com rota

Eu (Cris da Rocha), Danilo Ricco e, inacreditavelmente Igor Oliveira, falamos sobre o Tour de France 2013, que começa este sábado na Córsega e conta com a participação do brasileiro Murilo Fischer.

Falamos sobre o percurso, os participantes e o que esperamos que aconteça. Comentamos também o campeonato brasileiro de Estrada, a ser realizado este domingo.

Para ver as equipes e suas escalações sugerimos este link e para os detalhes do percurso, este link.

Infelizmente também tivemos que comentar a confissão de doping do alemão Jan Ullrich e as acusações em cima do francês Laurent Jalabert.

Download Radio Corsa #38

Radio Corsa #34

Radio Corsa 34 no ar e novamente, depois da mudança de host estamos repostando este podcast!!

Eu (Cris da Rocha), Rafael Martino e Bruno Victor Veiga finalmente conseguimos fazer a primeira gravação de 2013, a nova versão do Radio Corsa.

Oprah Winfreys e Lance Armstrong na entrevista onde o ciclista admitiu o uso de doping em suas vitórias ao Tour de France.

Falamos do começo da temporada, com os primeiros resultados, dos casos e papelões da UCI e da entrevista dada por Lance Armstrong a Oprah Winfrey, onde admitiu o uso de doping em suas 7 vitórias no Tour de France, recentemente caçadas pela UCI a pedido da USADA.

Download Radio Corsa #34

Radio Corsa Especial Tour de France 2012

Radio Corsa Especial Tour de France 2012.

Eu (Cris da Rocha), Danilo Ricco e Bruno Victor comentamos o bastante decepcionante desenvolvimento do Tour até o momento, graças ao massacrante domínio da equipe Sky, com Bradley Wiggins e Chris Froome.

Froome and Wiggins in the Tour de France 2012

Evans não apresentou um bom desempenho desde o começo da prova e na etapa de quarta (18/07) terminou de “afundar”, caindo de quarto para oitavo na classificação geral.

Nibali também não tem se mostrado com chances de “quebrar” a dupla da Sky e deve terminar em terceiro, a menos que algo muito surpreendente aconteça na etapa de hoje (19/07), a última com chegada em alto.

Falamos também sobre o “positivo” envolvendo Fränk Schleck, da equipe Radio Shack, Tour da Polonia e um pouco de olimpíadas.

Download Radio Corsa Especial Tour de France 2012

Frank Schleck fora do Tour 2012

A equipe RadioShack acabou de anunciar que o ciclista Frank Schleck está fora do Tour de Frace 2012 por doping.

A primeira amostra de urina testada no dia 14 de julho, deu positivo para um diurético proibido chamado Xipamide, com isso a equipe não espera a amostra B e para evitar pressões da mídia já retira o ciclista do Tour.

Imagem do Cyclingnews/Roberto Bettini

Mais informações em breve.

Radio Corsa #26

Está no ar o Radio Corsa #26.

Eu (Cris da Rocha), Rafael Martino, Igor Oliveira e Danilo Ricco falamos sobre a Dauphiné, Tour da Suiça e de como o Bradley Wiggins está se tornando um dos fortes candidatos ao Tour de France, ainda mais com a ausência de Andy Schleck.

Falamos também, obviamente, da suspensão de Lance Armstrong pela USADA.

Download Radio Corsa #26

Alberto Contador Suspenso

Saiu na manhã de hoje, dia 06/2/2012 a noticia mais esperada dos últimos anos no ciclismo.

Alberto Contador que foi pego no exame anti-doping no Tour de France de 2010 por uso de clembuterol foi suspenso com 2 anos de punição, contados a partir do dia do exame, com isso ele perde o título do Tour de France de 2010, o título do Giro d’Italia 2011 e só volta a correr na Vuelta a España de 2012. E também não correrá nas Olimpiadas de Londres em 2012. Além do mais, segundo informações ele foi multado em € 2.450.000.

Com isso Andy Schleck é o campeão do Tour de France 2010 e Michele Scarponi é o campeão do Giro d’Italia 2011.

Pódio final do Tour de France 2010:
1º Andy Schleck (LUX), 2º Denis Menchov (RUS), 3º Samuel Sánchez (ESP)

Pódio final do Giro d’Italia 2011:
1º Michele Scarponi (ITA), 2º Vincenzo Nibali (ITA), 3º John Gadret (FRA)

Pelo Diario Vasco, Contador foi pego em não uma, mas em QUATRO oportunidades no Tour de France 2010, ele foi submetido à 7 exames.

Informações relacionadas:

Aqui a decisão no site do TAS.

Em espanhol a noticia completa no Diario Vasco.

Aqui uma cronologia do caso do Contador feito pelo jornal espanhol AS:

Reações do Merckx, Perico Delgado e Sastre.

Mais informações a seguir.