Radio Corsa Especial TDF 2016 #3

Radio Corsa Especial Tour de France 2016 Volume 3 no ar!

Eu Cris da Rocha, Danilo Ricco e Bruno Victor comentamos o final do Tour de France 2016!

Tour de France 2016 - Podium

Tour de France 2016 – Podium

O Tour de France 2016, foi vencido por Chris Froome e a disputa pela classificação geral foi, chata, pra ser educado. O grande destaque ficou pela classificação por pontos, onde Peter Sagan deu um show, dia após dia.

Os competidores da classificação geral, basicamente se limitaram a seguir Froome e acompanhá-lo, tamanha a dominação imposta pela equipe Sky, que chegava a cruzar a linha de chegada em etapas de montanha em grupo de 5 atletas.

Na nossa empolgação de falar deste burocrático Tour, esquecemos de dar o resultado da nossa liga no no Fantasy do Velogames. Este ano a liga do Radio Corsa foi um sucesso, contando com 37 participantes e estrelas como Leandro Bittar, Bruno Vicari e Ari Aguiar. O vencedor foi João Paulo Gonçalves, com a equipe Comanche, marcando 6223 pontos. Parabéns João Paulo! Contamos com a sua participação e de todos os demais no próximo Fantasy, que será o da Vuelta!

Não esqueça de ouvir o podcast, caso não consiga ouvir você pode baixá-lo para ouvir mais tarde no iTunes.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Download Radio Corsa Especial TDF 2016 #3

Radio Corsa #53

Radio Corsa 53 no ar!

Programa especial com “detalhes” técnicos aos montes!

Eu Cris da Rocha, Igor Oliveira, Bruno Victor (gravando diretamente de um bar com música no aeroporto antes de embarcar para a Maratona de NY) e Danilo Ricco (com grandes problemas de microfone).

Peter Sagan - Campeão Mundial de Estrada 2015

Peter Sagan – Campeão Mundial de Estrada 2015

Falamos no programa do Campeonato Mundial de Estrada, vencido que teve como vencedor do contra-relógio Vasil Kiryienka e da prova de resistência Peter Sagan. Falamos também da última grande prova do World Tour, a Volta da Lombardia, vencida por Vincezo Nibali depois de uma descida alucinante.

Fechando o programa, comentamos sobre as principais mudanças de equipe para a temporada 2016.

Como comentado no programa, a roupa rasgada (e um pouco mais) de Tony Martin pela ideia de colocar fita de guidão no selim para ter mais aderência:

Tony_Martin_wc2015

Final do campeonato mundial:

Descida de Nibali na Volta da Lombardia:

Não esqueça de ouvir o podcast, caso não consiga ouvir você pode baixá-lo para ouvir mais tarde no iTunes.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Download Radio Corsa #53

Multidisciplinaridade – Parte 2

Chris Sauser se sagrando Campeão Mundial de XCM em 2013 (Foto: EGO-Promotion)

Chris Sauser se sagrando Campeão Mundial de XCM em 2013 (Foto: EGO-Promotion)

Na segunda e última parte da minha série de textos falando sobre a multidisciplinaridade me dedicarei ao Mountain Bike. Das modalidades do ciclismo, talvez seja a que mais possua um constante tráfego entre suas submodalidades. Vejamos.

Começarei com o cross-country. O cross-country (que chamarei apenas de XC) é uma modalidade do MTB bastante peculiar, é peculiar por que ela por si só possui suas variações, a citar: a Maratona, a Olímpica e a Eliminator. Elas entre si são extremamente interligadas, mas isto não evita que elas não possuam seus especialistas que, em alguns casos, acabam se destacando em apenas uma delas. Esse destaque pontual é bastante frequente no tipo Maratona.

Na Maratona, o XC ganha desenhos de enduro, suas etapas com frequência passam dos 100km, assim muitos de seus corredores acabam se especializando. Talvez o melhor exemplo disso é, não um atleta apenas, mas uma equipe inteira, a Bulls. A Team Bulls, como é oficialmente conhecida, é a equipe de MTB da marca de bicicletas alemã Bulls, todo o seu staff de atletas é especializado em provas do tipo Maratona. Talvez o mais famoso deles seja o também alemão, Stefan Sahm, conhecido por ser tricampeão da mais importante prova da modalidade, a Cape Epic. Porém Sahm e outros especialistas não vistos apenas em provas Maratona, mas também em provas Olímpicas de menor porte como copas nacionais e provas locais espaçadas.

Do outro lado, no Cross-Country Olímpico, temos exemplos de vencedores tanto dela como da Maratona, como Christopher Sauser ou as lendas Thomas Frischknecht e Bart Bretjens. A verdade é que especialistas na modalidade Olímpica tem muito mais sucesso no entre modalidades do que os especialistas em Eliminator ou Maratona. Na primeira, tirando Ralph Naef, seus frequentes vencedores dificilmente tem algum grande destaque na modalidade Olímpica ou Maratona.

Adam Craig morde sua medalha de ouro panamericana em 2007 (Foto: O Globo)

Adam Craig morde sua medalha de ouro panamericana em 2007 (Foto: O Globo)

Outra variedade de MTB que vem ganhando bastante força nos últimos anos é o Enduro, o enduro é o que antigamente era conhecido como All-Mountain, ou seja, uma mistura de XC com downhill para explicar por cima. No Enduro vemos uma mistura das mais variadas modalidades: temos Adam Craig, ex-atleta do XCO e campeão pan-americano de 2007; Jared Graves, atleta olímpico de BMX e que também corre downhill e XC; Joost Wichman, famoso por suas atuações no Four-Cross; e por fim, seus especialistas como Jerôme Clementz e Remy Absalon (irmão mais novo de Julien).

Rune Hoydahl no XC da Sea Otter Classic de 2000 (Foto: Dennis McGovern)

Rune Hoydahl no XC da Sea Otter Classic de 2000 (Foto: Dennis McGovern)

O downhil talvez seja quem mais dialoga com outras modalidades: Four-Cross, Enduro, BMX e até XC. Lembro do XC, pois é impossível esquecer do norueguês Rune Hoydahl, único atleta a vencer etapas da Copa do Mundo no XCO e no downhil. É claro, os tempos de Hoydahl eram outros, mas não posso deixar de lembrar que Jared Graves, além de ter sido podium no Mundial de Downhill desse ano, também foi um top 10 do Australiano de XCO.

Absalon e JC Peraud com suas medalhas Olímpicas de 2008

Absalon e JC Peraud com suas medalhas Olímpicas de 2008

Por fim, também não podemos esquecer dos MTBikers que trocaram a terra pelo asfalto como: Cadel Evans, Jakob Fuglsang, JC Peraud e Ryder Hesjedal. Assim sendo, é inegável que o MTB talvez seja a modalidade mais democrática do ciclismo, com seus atletas migrando de uma de suas variedades a outra ou então entre outras modalidades de ciclismo em si.

 

 

Olímpiadas 2012 – CRI Masculino – Resultados

Podium do masculino: Martin (prata), Wiggins (ouro) e Froome (bronze). Foto: AFP

Hoje rolou a provas do contra-relogio masculino e o que se viu foi um disputa muito legal entre os medalhistas, porém o dominio de Wiggins nunca esteve ameaçado, assim o britânico ficou com o ouro. O alemão Tony Martin ficou com a prata e o também britânico Chris Froome fechou o podium ficando com o bronze.

Com uma feroz disputa sempre com Froome pulverizando os tempos do australiano Michael Rogers que largou em sua frente, porém logo Martin também abaixava absurdamente o tempo e em seguida vinha Wiggins não deixando pedra sobre pedra. A decepção ficou por parte de Fabian Cancellara, que terminou apenas em 7º e a surpresa foi de Taylor Phinney terminando em 4º.

Resultados:
1 Bradley Wiggins (Great Britain) 0:50:39.54
2 Tony Martin (Germany) 0:00:42.00
3 Christopher Froome (Great Britain) 0:01:08.33
4 Taylor Phinney (United States of America) 0:01:58.53
5 Marco Pinotti (Italy) 0:02:09.74

Magno Prado terminou em 26º à 0:05:11.23

Olímpiadas 2012 – CRI Feminino – Resultados

Podium do feminino: Arndt (prata), Armstrong (ouro) e Zabelinskaya (bronze). Foto: Cynclingnews

Aconteceu hoje a prova do contra-relogio feminino pelas Olímpiadas de Londres 2012 com a vitória da americana Kristie Armstrong que se sagrou bicampeã olímpica, a prata ficou com a alemã Judith Arndt e o bronze ficou, novamente, com a russa Olga Zabelinskaya.

Kristie Armstrong dominou desde a primeira volta no circuito montado nas ruas de Londres, sempre seguida de Arndt. Já Zabelinskaya teve sua medalha ameaça por Linda Villumsen, da Nova Zelândia, que passou abaixo do tempo da russa ao fim da primeira volta, porém a neozelandesa não conseguiu manter o ritmo na segunda volta e terminou em quarto.

Resultados:
1 Kristin Armstrong (United States of America) 0:37:34.82
2 Judith Arndt (Germany) 0:00:15.47
3 Olga Zabelinskaya (Russian Federation) 0:00:22.53
4 Linda Melanie Villumsen (New Zealand) 0:00:24.36
5 Clara Hughes (Canada) 0:00:54.14

Clemilda Fernandes terminou em 18º à 0:03:50.57.

Olímpiadas 2012 – Estrada Feminino – Resultados

Chegada ciclismo de estrada Feminimo - Londres 2012 - Vitória de Marianne Vos (Foto: AP/Christophe Ena)

Deu a lógica na prova feminina de estrada hoje em Londres, a favoritissima Marianne Vos venceu no sprint a representante local Lizzie Armistead e levou o ouro para Holanda nesses jogos Olímpicos, com Armistead garantindo a prata para Grã-Bretanha, a primeira medalha britânica nesses jogos. Já o bronze ficou com a russa Olga Zabelinskaya.

O pelotão hoje controlou a prova até cerca de 50km para final, antes disso apenas algumas quedas atrapalharam a vida das ciclistas, foi ai que uma fuga composta por Vos, Armistead, Zabelinskaya e pela americana Shelley Olds se desgarrou do pelotão. Com 30km faltando, Olds sofre com um furo no pneu e é pega pelo pelotão, com a fuga seguindo sempre com 40s de vantagem. Após passarem a marca dos 10km, o pelotão resolve reagir e uma série de ataques ajudam a reduzir a margem de tempo para 30s faltando 2km para o fim, porém já era tarde.

Nos 10km a fuga de apenas três atletas viu Zabelinskaya tomar a frente e aumentar o ritmo, atitude que prejudicou seu sprint e ela não conseguiu acompanhar Vos e Armistead no sprint. Armistead também não coseguiu fazer frente para Vos, que levou o ouro com certa facilidade.

Vale lembrar que Marianne Vos já é detentora de um titulo mundial de estrada, cinco mundiais de ciclocross, um titulo mundial scratch, um mundial de corrida por pontos e uma medalha de ouro na corrida por pontos.

Podium Ciclismo de Estrada Feminino - Londres 2012 - Marianne Vos (Ouro), Elizabeth Armitstead (Prata) e Olga Zabelinskaya (Bronze) (Foto: Graham Watson)

Resultado:
1 Marianne Vos (Netherlands) 3:35:29
2 Elizabeth Armitstead (Great Britain) s/t
3 Olga Zabelinskaya (Russian Federation) 0:00:02
4 Ina Teutenberg (Germany) 0:00:27
5 Giorgia Bronzini (Italy) s/t
23 Clemilda Fernandes Silva (Brazil) s/t

Fernanda Souza terminou fora do tempo limite e Janildes Fernandes abandou devido a uma queda.

Olímpiadas 2012 – Estrada Masculino – Resultados

Chegada ciclismo de estrada masculino - Londres 2012 - Vitória de Alexandr Vinokurov

A zebra reinou hoje no ciclismo de estrada masculino. O que davam como garantido, o ouro de inglês com Mark Cavendish, não ocorreu e os ingleses tiveram ver Alexandre Vinokourov levar o ouro e encerrar sua carreira em grande estilo.

O time britânico controlou o pelotão por grande parte da prova, dando apenas uma pequena margem de tempo para Gilbert que estava sozinho na fuga e um pequeno grupo de perseguidores. Porém, na ultima volta do circuito de Boxhill, Gilbert foi alcançado pelos perseguidores e o time britânico viu uma série de ataques vindos do pelotão alcanssem o grupo de perseguidores que então se tornou uma fuga de cerca de 30 ciclistas com nomes como Valverde, Cancellara e Chavanel. Os britânicos, juntos com aos alemães, até tentaram alcançar a fuga, porém sem a ajuda das demais equipes, especialmente a australiana que tinha O’Grady na fuga, isso ficou impossí­vel.

Nos 10km finais, a fuga viu uma série de ataques, entre eles o de Uran e Vinokourov. O ataque se mostrou bem sucedido e os dois decidiram no sprint final o ouro, com Vino se consagrando campeão olímpico. Poucos segundos depois, o resto da fuga decidiu o bronze, com o Alexander Kristoff levando a melhor e ficando com o Bronze.

Podium Ciclismo de Estrada Masculino - Londres 2012. Alexandr Vinokurov (ouro), Rigoberto Uran (prata) e Alexander Kristoff (Bronze). (Foto: Bettini)

Resultado:
1 Alexandr Vinokurov (Kazakhstan) 5:45:57
2 Rigoberto Uran Uran (Colombia) s/t
3 Alexander Kristoff (Norway) 0:00:08
4 Taylor Phinney (United States of America) s/t
5 Sergey Lagutin (Uzbekistan) s/t
32 Murilo Antonio Fischer (Brazil) 0:00:40

Gregory Panizo e Magno Prado, que de inicio constavam como tendo terminado 117º e 119º, respectivamente, não completaram a prova.