The Jersey Project – Resenha

Com uma capa bastante colorida, é um ótimo livro de mesa (Imagem: www.bicycling.com)

Com uma capa bastante colorida, é um ótimo livro de mesa (Imagem: www.bicycling.com)

Nesta segunda resenha, eu, Danilo Ricco, resenharei o livro “The Jersey Project” dos americanos Bill Humphreys e Jerry Dunn que tenta contar um pouco da história do ciclismo através de suas camisas. O livro teve uma boa recepção da mídia especializada americana, mas na minha avaliação, isso me pareceu um tanto quanto fora da realidade. A seguir vocês saberam o por que.

O livro é divido em duas partes: a primeira voltada ao ciclismo americano do anos 60, 70 e 80; e uma segunda, voltada ao ciclismo europeu. Está divisão é onde se encontra a raiz de todos os problemas.

A primeira parte é bastante interessante, já que trabalha muito bem na parte de contar um pouco de como era o período mais amador do ciclismo americano, focando bastante no surgimento dos clubes regionais até a “profissionalização”, com a chegada de patrocínios. Porém, nela há um grave problema: por mais que possua uma grande variedade de camisas e fotos, ela simplesmente não informa de quais clubes e equipes elas eram, informando apenas o ano e seu dono. Isso é bastante frustrante para quem, como eu, gostaria de se aprofundar na história individual de cada clube. Junta-se a isso o fato do texto ser extremamente mal escrito, o que torna a leitura desanimante e canssativa.

A segunda parte, se por um lado melhora, por outro ela joga todo esse avanço no lixo por uma série de erros básicos presentes em toda sua extensão.

Esta parte, que abrange a Europa e o resto do mundo é a mais interessante do livro, possuindo em seu conteúdo de imagens desde camisas dos anos 30 até as mais atuais, sendo ela a tradução para o inglês do livro “Koerslui”, do holandês John van Ierland.

Por mais que a parte européia do livro possua um acervo de camisas muito mais interessante que a primeira e corrija o problema com a falta de identificação dos clubes, que no caso são as equipes, os problemas com a qualidade do texto persistem, e até mesmo pioram.

Por ser uma tradução, o livro sofre fortemente com o problema de um trabalho muito porco, ao ponto de Tour of Romandie, a forma correta, ser traduzido no livro como Round of Romandia. Sem contar as traduções e não traduções presentes no texto, como por exemplo a Volta da Lombardia. No livro aparecem três nomes para a prova: Giro di Lombardia, Tour of Lombardie e Ronde de Lombardjie. Há também a falta de tradução para o inglês de algumas provas como a Liége-Bastogne-Liége que no livro aparece escrita em holândes, Luik-Bastenaken-Luik, o que confundiria a maioria do leitores.

Outro problema é a péssima edição, com diversos erros de data, digitação e até mesmo de concordância, que, aliado ao velho problema da péssima escrita, tornam o livro bastante chato.

O livro, por mais interessante que seja sua temática, é bastante falho na parte básica de todo livro, a escrita, bastante chata em toda sua extensão. Por custar algo próximo aos R$115 (com frete incluso), eu sugeriria que sua compra apenas ocorra em eventuais promoções, pois sua leitura bastante frustrante faz com que se compense comprar apenas pelas fotos das camisas históricas presentes nele e assim, não valendo o investimento.